18.2.15

Só quero ter-te ou, por favor, desligar estes sentimentos.


Sabes? Não é justo. Antes de tudo, não é justo saber que nunca irás ler nada disto. Saber que diga o que disser, nunca irás sentir o mesmo. Uma vez disseste que os meus textos te faziam sentir sentimental e sei que não irás querer essa sensação quando tudo o que queres é manter-te longe de mim. É injusto ter tanto por dizer e não existir uma forma de o fazer. Injusto ter saudades e não te poder mandar uma simples mensagem porque prometi que iria sair da tua vida, que iria tentar seguir em frente e não esperar por ti. Porque se mandasse uma mensagem, não iria querer parar. Mas enfim, não é justo, nada disto é justo para mim. Se não sentias nada, porque é que recomeçaste isto? Foste tu que me convidaste para ir contigo à Pia do Urso e não imaginas o quanto eu não esperava que tal acontecesse. Foste tu que me olhaste nos olhos e que me pediste para ficar aí contigo, para dormir contigo mesmo sabendo que eu não queria, sabendo que não podia. Foste tu que me levaste ao concurso de bandas e me abraçaste à frente dos teus amigos, me pediste para me sentar ao teu colo à frente deles. E foste tu que me começaste sempre a convidar para coisas nas semanas seguintes. Eu estava tão afastada de ti, lembraste? Tinha criado uma barreira à minha volta para me proteger dos meus sentimentos e para me proteger de ti. Eu não te deixava beijares-me ou aproximares-te de mim. Dizia que amigos não se beijam. Dizia que não me amas. E, a pouco e pouco, permiti-te quebrar esse muro invisível que me protegia, voltei a dar-te toda a minha confiança devido às tuas bonitas palavras e gestos. Disseste que era impossível me teres esquecido porque fui demasiado importante para ti e que não o irias conseguir fazer assim tão depressa. Disseste que era impossível estares com outra rapariga que não eu quando não conseguias parar de pensar em mim. E bolas! Não imaginas o quanto me deixou feliz ouvir isso ou como me deixou feliz tudo o que aconteceu entre nós após isso. Acredita, estava mesmo feliz. Estava, afinal, feliz numa mentira, numa ilusão. Confiei em ti para apenas me deixares mais uma vez. Para apenas ser brutalmente desiludida. E sinceramente? Não pensei que isso fosse acontecer. Acreditei que fosses novamente uma constante na minha vida. Tudo o que queria eram beijos e sorrisos ao fim de semana. Tudo o que queria era ter-te, era uma nova relação contigo a partir da estaca zero. E o pior? É não sentir saudades do nosso namoro, não sentir saudades do nosso passado, nem sentir saudades do teu antigo eu. Adorei tudo isso mas estava acabado devido aos nossos erros. Tudo o que contava, para mim, era o agora, estes três meses. E eu não queria o passado de volta porque estava feliz momentaneamente. Começava finalmente a compreender as tuas escolhas e a sentir-me, mais que nunca, como parte da tua família. Sentia-me a apaixonar-me de novo por ti, pelas nossas competições, pela facilidade como me fazias sorrir, pelas nossas aulas de bateria, pelas pequenas coisas que fizeste por mim durante este tempo. E foste tu que permitiste isso. Foste tu que me conquistaste quando eu estava com medo de ser novamente conquistada. Foste tu que deixaste todos pensarem que voltamos, foste tu que começaste a tratar-me bem, a falar em voltar, a expressar sentimentos. Mas fui eu a única a sentir isso. E não é justo ter-me sentido tão feliz contigo durante três meses, quando foram uma mentira. Quando estava contigo e tu não estavas a sentir o mesmo. Quando por trás da minha felicidade, estava a tua infelicidade. E não percebo como é possível eu ter sentido tudo isso junto a ti e tu não o teres sentido. Não é justo me ter apaixonado de novo por ti e por estes três meses. Não é justo sentir todas estas saudades e saber que tu não sentes absolutamente nada. Que para ti não existo. Que estás bem e a divertir-te enquanto eu escrevo isto. Só não é justo querer-te tanto aqui, querer perdoar-te tudo e ultrapassar todas as coisas más. Não é justo que mesmo tendo perdido todas as minhas forças, ainda encontre forças para lutar por nós. E muito menos é justo querer fazê-lo sabendo que não me amas. Porque simplesmente não paro? Só quero ter-te ou, por favor, desligar estes sentimentos.

~ 4 ♥: ~

Carina Sofia says:
at: 18/02/15, 20:22 disse...

Eu sei que é complicado, acredita que sei. Quando estou sozinha sou exatamente o mm, mas ai vem o meu pensamento ' para quê estar a pensar nisto se me faz mal?' e acaba esse pensamento por mais difícil que seja mantê-lo longe.

Sara Martins says:
at: 19/02/15, 18:39 disse...

por acaso nesse sentido não tenho esse problema, tenho uma imaginação muito boa

Anα says:
at: 20/02/15, 22:55 disse...

Tão verdade! Mas vai haver sp maneira de recomeçar

Sarafaela says:
at: 22/02/15, 15:21 disse...

Eu sei que sim princesa, mas o por muito que doa o melhor que tens a fazer é esquecer isso...

~ Enviar um comentário ~

comenta (:

+

Seguidores

Espreitadelas:

α♥. Com tecnologia do Blogger.

♥ em letters

.

⇨ facebook

⇨ tumblr

⇨ SEGUE