2.3.15

Sinto-me a ser puxada de volta a ti, sem o querer.



“Só consigo lembrar-me dos bons domingos que passámos juntos e não dos maus. Porquê?”. Li a tua mensagem e o ar fugiu-me dos pulmões. Era aquilo por que esperei tanto tempo mas, infelizmente, já não esperava. A verdade é que já não acreditava que fosse acontecer. Já não achava possível que te arrependesses, que sentisses a minha falta. E, por incrível que pareça, eu própria já não sentia a tua falta e já não queria esperar por ti. Inicialmente foi difícil manter a distância e não te mandar mensagem, mas apercebi-me de que quando conseguisse o primeiro dia seria fácil alcançar esse objetivo diariamente. E mesmo sem ti, sinto-me feliz. Sinto-me bem pela primeira vez. Consegui largar a minha tristeza e transformar-me noutra pessoa. Mudei imenso. Tornei-me muito mais forte do que alguma vez fui e, agora, acredito em mim. Acredito que consigo ultrapassar o que quer que seja, por mais que me doe. Foi uma luta enorme distanciar-me de ti, reconhecer que acabou, mas assim que o fiz deixou de custar. Parei automaticamente de recordar os nossos momentos e de desejar o teu regresso. E, neste momento, não creio que possa dizer que sinto saudades. É verdade, adorei estes três meses e foram especiais para mim. Mas que importa isso? Foram uma mentira. Deixaste-me ficar com uma quantidade enorme de esperanças e depois limitaste-te a dizer-me que não sentes nada por mim. Sempre que mandei mensagem não respondeste. E inicialmente isso doía, mas depois comecei a ter medo era de que existisse sequer uma resposta. Quando me deixaste, não era capaz de aceitar que me esqueceste. No entanto, habituei-me à ideia. Agora duvido que as coisas pudessem ser de outra forma. Não sei… pareces estar arrependido, pareces sentir que me perdeste, pareces sentir saudades. Mas sabes? Fui eu que te perdi a ti, só que aprendi a não te querer de volta. Disse-te que se realmente sentisses a minha falta, que agora era a tua vez de lutar por mim e tu limitaste-te a não responder. E sei lidar com isso, o que me preocupa é quando respondes. Preocupa-me que possa vir a cometer o tremendo erro de te desculpar quando é tão claro que desperdiçaste tudo aquilo que tivemos antes. E quando olho para o passado, vejo algo que já não acredito que possa ser reparado. Diz-me, como posso eu ficar contigo se estiveste com outra pessoa? Será que serei capaz de considerar-te como meu, após teres sido de outra pessoa depois de me deixares? Será que serei capaz de apreciar o teu beijo, sabendo que estiveste nos lábios de outra rapariga? É que perdoar isso seria magoar-me a mim mesma e dificilmente seria capaz de voltar a confiar em ti. Dificilmente acreditaria em ti se alguma vez voltasses a dizer que me amas. É que confiei em ti no passado e tu passaste por cima dessa confiança. E desculpa, mas acho que a quebraste de uma maneira em que não há ponto de retorno. Acho que já não existe desculpa possível para as tuas acções e que o perdão não é uma hipótese. Afinal, se me amasses, nunca serias capaz de me deixar e, bêbado ou não, não serias capaz de comer outra. Portanto, por um lado sinto-me aliviada por não ter obtido uma resposta tua. Mas por outro, fizeste com que te recordasse. Abriste as minhas saudades e deixaste-me com o desejo de que lutasses por mim. Mas, caso não o faças, então irei continuar bem como tenho estado. E caso o faças, nem sei se é possível dar-te outra oportunidade. Acho só que vais falar comigo, cansar-te, deixar-me. E olha, estou farta desse ciclo vicioso. Farta de só me quereres temporariamente. Sinto-me a ser puxada de volta para ti, sem o querer.

~ 5 ♥: ~

Carina Sofia says:
at: 02/03/15, 16:47 disse...

Ai a sério, se soubesses o quanto te quero contar a minha história, nem imaginas. Talvez abrisss os olhos de uma vez por todas e esquecias tudo!.. Mas, no entanto, só espero que não deixes que isto de afete e que voltes a sofrer novamente. Entende que tudo isto pode ser um jogo psicologicamente não devias mesmo estar de todo preocupado com aquilo que faz ou não faz. Pensa em ti e no que realmente queres.

Carina Sofia says:
at: 02/03/15, 17:56 disse...

Sentimento de posse, pode ser isso. Talvez entendeu que já não ias correr mais atrás, não ias fazer figura de parva e que tinhas desistido. Por isso, é q te digo para teres mesmo cuidado com as coisas!

Sara Martins says:
at: 02/03/15, 19:27 disse...

eu era para uma revista e escrever um coluna nessa mesma

Diana Garcia says:
at: 02/03/15, 21:28 disse...

Infelizmente é sempre assim querida... só voltam quando perdem e sentem a nossa falta! Deixam-nos na maior lama, e quando finalmente nos conseguimos reerguer, eles voltam, com todo aquele charme que nos deixa com as pernas a tremer e com borboletas na barriga. Mas, isso as vezes não é suficiente, quando essa pessoa já nos magoou muito. A decisão é tua. Sê feliz querida! :)

Gabriela. says:
at: 02/03/15, 22:13 disse...

este texto fez-me arrepiar.. não te deixes magoar de novo, se estas bem assim,, segue em frente <3

~ Enviar um comentário ~

comenta (:

+

Seguidores

Espreitadelas:

α♥. Com tecnologia do Blogger.

♥ em letters

.

⇨ facebook

⇨ tumblr

⇨ SEGUE